A utilização de tecnologias no âmbito das Energias Limpas, ou seja eficiência energética e energias renováveis tem crescido enormemente nas últimas décadas.
Tecnologias, consideradas no passado como exóticas, estão agora disponíveis no mercado, representando alternativas economicamente viáveis aos sistemas baseados na utilização de combustíveis fósseis com todos os problemas associados, nomeadamente no que concerne à emissão de gases com efeito de estufa.

Renováveis serão sempre mais caras que petróleo

Especialistas debatem co-relação entre matéria-prima e fontes alternativas
Alguns dos mais importantes empresários portugueses do sector estiveram esta quarta-feira a debater sobre se a escalada do preço do petróleo seria um impulso para as energias renováveis como fontes alternativas. As opiniões divergem, tendo o presidente da Iberol sido o mais incisivo ao garantir que «as energias renováveis serão sempre mais caras que o petróleo». Por sua parte, o responsável da GreenCyber aponta os biocombustíveis como a única solução para o problema do petróleo.
«O preço do petróleo é um impulso para as renováveis? Claro que não porque estas serão sempre mais caras que o preço do petróleo. O que faz subir o preço do petróleo é a desregulação dos mercados financeiros internacionais. Além de que os equipamentos das energias renováveis também são dependentes do petróleo», afirmou João Rodrigues.
E de acordo com o mesmo «100 dólares por barril até é um preço barato para o petróleo».
«Sobrecusto da energia pode impedir-nos de ser competitivos»
Quem partilha da mesma opinião de que não há co-relação entre a escalada desta matéria-prima e a maior utilização das renováveis é o vice-presidente da Martifer. Para Jorge Martins, se por um lado a estatística mostra uma co-relação, por outro, sublinha que para pôr um parque eólico a funcionar são precisos quatro a cinco anos. Ou seja, são projectos planeados antes de se verificar a tendência do preço do petróleo aos níveis actuais, explicou o responsável que aponta as alterações climáticas para a forte aposta nas renováveis.
E opina: «O petróleo vai continuar a subir simplesmente porque não consegue a acompanhar o aumento da procura».
Já o presidente da portuguesa GreenCyber, Pedro Sampaio Nunes, aponta o custo do petróleo como uma das razões para o facto das energias alternativas estarem em voga. «O preço do petróleo torna viável as tecnologias para as renováveis, mas também temos de ter em contas as alterações climáticas e a segurança de abastecimento», comentou.
Para Pedro Sampaio Nunes, «a única solução com capacidade para dar resposta ao problema do petróleo são os biocombustíveis, desde que haja o adequado quadro fiscal».
Críticas às tarifas de energia praticadas em Portugal surgiram várias. Se Sampaio Nunes diz que «a nossa economia está a pagar o sobrecusto, o que vai impedir que nos tornemos competitivos a níveis industriais».
A opinião de Nuno Ribeiro da Silva, presidente da Endesa Portugal, também já é conhecida. O responsável realçou que «o custo de produção de energia em Portugal é de 70, 80 e até já chegou aos 90 euros por MegaWatt (MW), mas que se teima em dizer que é de 50».
FONTE: Agência Financeira

As últimas NOTÍCIAS sobre Energia Renovável